top of page

Na sua voz a musicalidade afro-brasileira se expressa de maneira original . Poeta, mesmo antes de se tornar cantora, acredita na arte como via de transcendência e no respeito à diversidade como condição fundamental à vida. Seu pai, o cantor e compositor Messias Santiago, passou para ela e os dois irmãos o interesse pela literatura e pela música enquanto a mãe, professora de Português e também grande incentivadora das sessões de leitura, nunca mediu esforços para apoiar as produções da família, numa casa onde livro, vinil e vitrola eram artigos de primeira necessidade. Atualmente Mariella prepara seu 4o álbum de estúdio, onde apresenta suas composições mais recentes e novas parcerias.
 

Em 2018 lançou em Salvador o DVD "Ella é do Brasil", seu 4o projeto solo. No repertório canções inéditas de sua autoria e de outros compositores, como "Bahia Minha Preta" (Caetano Veloso) e "Coração Absurdo" (Itamar Assumpção). O registro traz ainda "Calunga Exuberante", uma parceria com Chico César que também participa do DVD. Após a gravação no Teatro Castro Alves em 2015, o projeto passou por 5 cidades brasileiras mas só em 2018 voltou a Salvador, com 2 shows no Café Teatro Rubi. Em 2015 a artista lançou o álbum "Ella". Com a marca autoral dos trabalhos anteriores, o projeto traz 15 faixas, uma delas, "Apará", já havia sido lançada no EP  "In tudo que é canto"  disponibilizado no pioneiro My Space. Seu álbum de estreia, intitulado "Mariella"(2002) traz memoráveis participações instrumentais de Hermeto Pascoal, Gerônimo Santana e Carlinhos Brown, 

Sua estreia profissional aconteceu nos anos 1990,  ao ser convidada para interpretar sucessos de um ícone da contra-cultura norte americana, a cantora  Janis Joplin,  no musical Projeto J. Após participar do espetáculo, foi solista de várias formações interpretando blues,  jazz standards, clássicos da MPB e do cancioneiro latinoamericano. Na Alemanha participou do projeto Virtopera, do maestro Eberhard Schoener, como protagonista da ópera Beleza Negra. Além das gravações e apresentações da ópera, Mariella participou do CD Eberhard Shoener and Friends-Crossing times and Continents - reunião de estrelas da música internacional entre elas, Andrea Boccelli, Andy Summers e Sting, com quem Mariella realiza um dueto na faixa Only the wind (Eberhard Shoener and Friends-BMG - Ariola, 2006). Na França participa do musical Moi et mon cheveau, onde sucedeu a atriz e cantora Laila Garin (2011-2012). O musical dirigido por Eva Doumbia tem produção da compania La Part du Pauvre e  já se apresentou por 10 cidades francesas.
 

Nos últimos anos a artista tem se apresentado em projetos e festivais pelo Brasil e no exterior, além de promover projetos multimídia que contam com a parceria de artistas de diferentes áreas, tais como Encontros de Verão com Mariella Santiago e Convidados (2016, 2015,2014,2013), Tributo a Itamar Assumpção, que teve entre os convidados Anelis e Serena Assumpção, Orquestra AfroSinfônica (Pelourinho 2010) e Pirambeira Multimídia (Zauber, 2006). Experimental por natureza, mesmo quando aborda temas tradicionais, sua arte se estende para além do trabalho solo, expandindo-se em outros domínio como a dança e a performance contemporânea. Participa de projetos com diversos artistas entre eles o coletivo Pra te lembrar do Badauê, junto a fundadores do icônico Afoxé Badauê, os artivistas Chico Assis e Nelson Maca, o músico e cineasta André Luís Oliveira (Projeto Mensagem III), além de Moreno Veloso (Cinesom BA), Rafa Dias (DVD Ella é do Brasil)e o diretor Marcondes Dourado. Em 2023 fez sua estreia no Cinema participando do filme A Matriarca, de Lula Oliveira, que recebeu menção especial no LABFF (2023), em Los Angeles, EUA.

Mariella se expressa e compõe fluentemente em vários idiomas. No início de sua trajetória, acompanhou grandes artistas da MPB como vocalista.  Gilberto Gil, na primeira formação do Expresso 2222, show que celebrava o aniversário da Tropicália e Carlinhos Brown, para a turnê brasileira do álbum Alfagamabetizado (1997-1998). Ainda nos anos 1990, cantou com o poeta Luís Galvão (Novos Baianos), interpretando suas novas canções e integrou o grupo de Roberto Mendes e Jorge Portugal, enveredando pelo universo do Samba de roda e da Chula no Recôncavo baiano. Essa inclinação para o intercâmbio com outros artistas,  reflete -se no seu vocabulário musical e na sua discografia, que já soma mais de 20 CDs e DVDs  entre produções solo, participações especiais e coletâneas, lançados no Brasil e no exterior. Ouça suas colaborações com outros artistas na Rádio Mariella! 

Ao lado da carreira musical, a artista realiza Mestrado Interdisciplinar em Cultura e Sociedade,  no Instituto Milton Santos, da Universidade Federal da Bahia, onde desenvolve pesquisa sobre a participação das mulheres negras e afro indígenas na música popular brasileira. O trabalho contempla artistas de 6 capitais do Norte e Nordeste do Brasil, e tem como objetivo situar as trajetórias dessas artistas no universo da MPB contemporânea, nos contextos nacional e internacional, onde a projeção de Carmem Miranda fundou um imaginário sobre as artistas da música e sobre a mulher brasileira. A pesquisa, que conta com o incentivo da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Bahia -FAPESB-.
 

Sua trajetória profissional integra participações em comissões julgadoras de concursos públicos entre outras competições do meio cultural, tais como o Festival de Música da Educadora, promovido pelo Instituto de Radiodifusão Educativa do Estado da Bahia, Femadum (Festival de Música e Artes do OLODUM), Ocupa CEAO -UFBA, entre outros.

Outros artistas que fizeram e fazem parte da sua rede criativa: Zhal Sissoko (Senegal/Canadá), Aline Falcão (BR), Ananda Jyothi (Índia), Arto Lindsay(BR/EUA), Paquito, Andy Summers (UK), Rogério Duarte, Phillipe Baden Powell (FR-BR), Laila Rosa (PE), Thiago Pondé (Cena Tropifágica), Ivan Klaxar (Serbia), Eva Doumbia(FR), Lamine Soumano (Mali), Lionel Liontonet (FR), Letieres Leite, Pepeu Gomes, Lazzo Matumbi, Ubiratan Marques e Orquestra Afro Sinfônica, Badauê, Jorjão Bafafé, Mou Brasil, Anderson do Samba, Mauricio Mello, Raimundo Sodré, Monica Millet, Rebeca Matta, Afoxé Badauê, Afoxé Amigos do Katendê, Maurício Lourenço, Nelson Maca, DJ Gug Pinheiro, Dj Rafa Dias, Dj Jeronimo Sodré, Dj Angelis Sanctis aka Claudio Manoel , Dj Drum,  dj Mauro Telefunksoul e Dj Adriana Prates (BR).

 

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

MS Comunicação Arte | msartecomunicacao@gmail.com

Facebok: MS Comunicação Arte

bottom of page